Brasileiro terá documento único digital e biométrico a partir de julho

Nesta segunda-feira (5) o Governo Federal lançou o projeto piloto do chamado Documento Nacional de Identidade, o DNI, que reunirá diferentes registros civis dos brasileiros em um único documento biométrico e digital através do uso do banco de dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O objetivo do DNI é facilitar o trabalho dos órgãos ao realizar a identificação em qualquer tipo de processo necessário e facilitar a vida do cidadão ao emitir uma documentação, pelo preço estipulado de apenas R$ 0,10 segundo afirma o ministro do Planejamento Dyogo Oliveira.

Nele, o cidadão terá registrado seu CPF, título de eleitor e Certidão de Nascimento e esta lista vai aumentar à medida que acordos forem sendo estabelecidos entre os órgãos competentes para unificação destes documentos. De início 2 mil servidores do TSE e do Ministério do Planejamento testarão o DNI através de uma permissão para baixar o app oficial para aparelhos móveis. 

 

DNI
Modelo do DNI, que poderá ser visualizado no seu celular

 

Após passar pela fase de testes, o DNI deve começar a chegar aos brasileiros a partir de julho de 2018. “Descortina-se com o DNI uma imensa avenida de possibilidades porque a solução que está sendo dada é inteligente, digital, sem burocracia, flexível e adaptável a todos os tipos de serviços”, afirmou o ministro.