Ex-engenheiro da Google funda religião em que robôs são divindades

O repórter Mark Harris, que é um correspondente do Backchannel do site Wired, descobriu recentemente que um ex-funcionário da Google saiu da empresa e montou sua própria religião.

Anthony Levandowski é um engenheiro robótico responsável por desenvolver sistemas de de automação veicular e, apesar de estar envolvido em uma demissão causada por um problemas com a Uber, é um profissional muito respeitado no Vale do Silício, nos Estados Unidos.

Lewandowski criou a religião Way of the Future em que os robôs são considerados e vistos como criaturas divinas e que cuja missão é "desenvolver e promover a realização de uma divindade baseada em inteligência artificial e através de conhecimento e devoção à divindade, contribuir para a melhoria da sociedade", segundo dizem os documentos de fundação da organização datada de 2015. 

 

Resultado de imagem para anthony levandowski
Anthony Levandowski. Brilhante engenheiro? Com certeza. Cara de doido? Talvez.

 

O repórter da Backchannel apurou que Levandowski sempre foi um sujeito aficcionado com a ideia de que um dia os robôs seriam os donos do planeta, transformando os seres humanos em uma subcategoria de vida. Um dos ex-colegas de Levandowski afirma que o engenheiro já havia mencionado que sua intenção é dominar o mundo. "Ele falava sobre começar um novo país em uma ilha. Coisas bem loucas e esquisitas. E a grande questão é que ele sempre tinha um plano secreto e você não vai saber disso.", afirmou este ex-colega. 

Inclusive em trocas de mensagens entre ele e Travis Kalanick, fundador e ex-CEO da Uber, essas afirmações são confirmadas porque elas revelam que Levandowski chegou a comentar com o então chefe que eles dominariam o mundo usando um robô de cada vez.